+1 (305) 323.5377 growth@besingular.us
Select Page

wpid-http___www.casaconhecimento.com_.br_blog_wp-content_uploads_ferramentas.gif-2011-03-16-10-421.jpgEscala, escopo e velocidade. Se não estamos falando de escala, escopo e velocidade estamos sendo apenas amadores e diletantes.“, Alex Steffen

O empreendedor, aquele que começa uma empresa do zero, se for competente em tirar sua ideia do papel e levar a empresa a crescer, mais cedo ou mais tarde, vai precisar de ajuda de outros profissionais para realizar este crescimento, pois é impossível fazer tudo sozinho!

A maneira mais fácil e que, aparentemente, envolve menos risco para o empreendedor, é contratar pessoas e colocá-las para responder diretamente para ele, no que podemos chamar de uma empresa com um organograma “flat”: o dono e o resto da equipe.

O menor risco desta alternativa, refere-se ao fato de que o empreendedor não precisa abrir mão do seu poder, mantendo o controle de tudo centralizado em si mesmo. A empresa acaba ganhando escala, mas este crescimento é limitado, pois ela não forma competências de gestão e, sim, um contigente de funcionários dependentes do dono para tudo.

Para, realmente, crescer e ganhar velocidade, a empresa terá que contratar ou formar gestores, capazes de tocar o negócio com competência e comprometimento, motivados por objetivos claros e capazes para, por sua vez, gerenciar pessoas, que, no futuro, estarão gerenciando outras pessoas. Este é o caminho do crescimento.

Como posso amadurecer, como empreendedor, para me tornar um gestor de uma empresa capaz de crescer desta forma?

Em uma única frase: você deve fazer uso das ferramentas de gestão que, anos e anos de pesquisa sobre o funcionamento das organizações, nos legaram.

Comece por aqui…

– Elabore (coloque por escrito) a estratégia da sua empresa – onde queremos chegar como negócio? Fazendo o quê? Quais são os nossos diferenciais? Veja mais informações sobre estratégia aqui.
– Desenhe o organograma da empresa e descreva, com razoável nível de detalhes, a responsabilidade de cada área e de cada pessoa, principalmente dos gerentes.
– Elabore um plano de ação que aponte a empresa na direção da estratégia que você definiu. Este plano de ação deve ter as 5 a 7 iniciativas que, além das atividades do dia a dia, serão realizadas nos próximos 6 a 12 meses para fazer a empresa estar mais próxima dos seus objetivos estratégicos no final deste período. Veja mais sobre planos de ação aqui.
– Determine, entre os seus gerentes, quem é o responsável por cada uma das ações, eventualmente, uma ou outra pode ficar sob a sua responsabilidade, mas você deve se forçar a distribuir ações para começar a compartilhar o controle.
– Baseado no plano de ação, crie um plano de metas que distribua bônus para os gerentes e funcionários que baterem suas metas no fim do período.
– Faça um desenho dos principais processos da empresa – um detalhamento dos processos ajuda a comunicar a responsabilidade de cada área e de cada pessoa e resolve problemas de “bolas divididas” ou de “tarefas sem dono”, mais sobre processos aqui.

Acho que já temos o suficiente, por hoje 😉

Alexandre Ribenboim.